terça-feira, 10 de abril de 2012

Meu Novo Blog


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

UMA AULA DE DEUS


Hoje tive um dia difícil. Acontece que estava trabalhando e pronto para participar da confraternização do meu grupo de trabalho, quando recebi por telefone a informação da minha mãe que meu irmão mais velho havia sofrido um acidente. Segundo as primeiras informações, ele estaria atravessando uma pista, quando foi atropelado por uma motocicleta.

Deixei tudo que estava fazendo e pedi ao meu chefe para me deslocar até a casa da minha genitora para me acercar dos detalhes do desastre. Antes de ir para a casa da minha genitora, soube que minha cunhada estava lá, e que já havia ido para o hospital mais próximo a procura do meu irmão, mas, que ele não havia dado entrada lá. Então fui ao Hospital da Restauração, próximo ao meu trabalho e busquei saber se por acaso seu nome constava entre os que deram entrada lá, vítima de acidente, mas, também não constava.

Nesse instante, meu pai me ligava perguntando onde eu estava e se eu já sabia do ocorrido. Ele queria que eu fosse buscá-lo para juntos procurarmos por meu mano. Enquanto viajava para casa dos meus pais, recebi outra ligação, era minha mãe, que acabara de receber a informação que meu irmão havia falecido, pois alguém escutou no rádio o nome e endereço dele. Ela então entrou em desespero, pois, três dias atrás, sua tia havia sido atropelada e falecida, também há dois anos, outro irmão meu havia falecido também vítima de acidente, sem contar, outra tia minha que há cinco anos foi vitima também de acidente.

Quando cheguei na casa de meus pais, o cenário era de muita aflição, procurei tranqüilizar a todos, mas, a tarefa não era fácil. Uma prima minha me disse num baixo tom de voz, que realmente a noticia que seu esposo ouviu, foi de que a vítima do acidente de moto, cujo nome era Luciano Pedro de Aguiar, havia falecido.


Mesmo assim, falei para todos se tranqüilizarem, pois, precisávamos ter certeza do fato. Traçamos então um mapa de procura, a começar pelo local onde trabalhava Luciano. Já estávamos esperando o pior, nos preparando para ir ao IML. Mas, quando chegamos na Empresa em que trabalhava meu irmão, perguntando ao vigilante, de pronto, ele nos disse que Luciano estava lá, ficamos esperançosos, mas, ainda incrédulos, foi quando ele apareceu. Estava comigo, meu irmão mais novo, minha cunhada, meu pai e minha mãe, todos, ao vê-lo vivo glorificamos a Deus.



Passei então a perguntar o que aconteceu, foi quando ele nos disse que ontem, ao ir trabalhar, junto com um amigo, tiveram que atravessar uma BR, e que seu colega, atravessou a pista três passos a sua frente, e que uma moto em alta velocidade o atropelou. Na hora, ele se desesperou, e quando a ambulância chegou, perguntaram a ele o endereço da vítima, não sabendo responder, acabou fornecendo seu próprio nome e endereço, hoje o rapaz faleceu e o nome que foi divulgado na rádio, foi o do meu irmão. Ele só tomou conhecimento disso, através de mim e meus pais.

O Resultado disso tudo, é que minha mãe e meu pai, que já sofrem do coração, tomaram vários medicamentos para controlar a pressão arterial, muitos parentes ficaram aflitos, os vizinhos ficaram apreensivos, minha cunhada e minhas sobrinhas estavam super abaladas, eu também estava angustiado, e tudo isso por causa de um boato, de uma informação destorcida veiculada pela imprensa. Alguém poderia ter morrido, só em tomar conhecimento do fato. Graças a Deus, que o final foi feliz.
Tudo isso, nos leva a reflexão, sobre a administração da vida, sobre o relacionamento com a família, sobre os boatos, sobre o nosso comportamento, quando recebemos noticias ruins. Sobre atitudes que tomamos antes de termos certeza dos fatos.

Antes de sairmos à procura do meu irmão, falei para minha mãe parar de chorar, pois, ela poderia está se antecipando a um fato ainda não comprovado. Foi o que aconteceu.
Hoje, Deus nos ensinou muitas coisas.
Tenho certeza, que todos estávamos orando durante o nosso trajeto para a empresa. Quão grande foi o alívio, quando chegamos lá e vimos que ele estava bem.

Meu irmão está afastado da igreja, minha mãe e meu pai também. Mas, pude ouvir a voz de Deus falando através desse episódio, e nos dizendo “A vida é como um vapor”

Não é estranho, como nos lembramos de Deus em tempos ruins? Será que teremos que passar por tragédias para nos chegar a Deus? Para reconhecer que a vida está nas mãos Dele?

Nesses últimos dias, tenho intensificado minhas orações pelos meus familiares. O Luciano me confessou que foi Deus quem lhe deu livramento, quem lhe segurou três passos atrás do seu colega que morreu. Creio realmente que Deus ouviu minha oração. Espero que esta postagem, de alguma forma te ajude a melhorar como filho, pai, esposo, esposa, tios, tias, avós, primos, irmãos e amigos. Que ores mais, que agradeças mais ao Senhor, pelos livramentos que Ele dá a ti e a tua família. Livramentos visíveis e invisíveis.

Pr. Robson Aguiar

domingo, 27 de novembro de 2011

3ª VIA - CGADB, MEU PARECER


Minhas palavras abaixo são despidas de partido e tendência. Não tenho por intenção ofender a ninguém e nem depreciar a quem quer que seja. Considere ainda que não fui orientado por ninguém a escrever sobre o assunto proposto, e que meu objetivo é levar a todos que lerem esse texto a reflexão.
Como já se sabe, sou filiado a Convenção CADEESO (Convenção das Assembléias de Deus no Estado do Espírito Santo e Outros). Apesar de residir em Pernambuco.
Tal como eu, existem outros pastores que embora sejam nativos daqui, são convencionados a Assembléias de Deus de outros Estados.
Os motivos dessa filiação atipica, se da ao fato de que nosso Estado, diferente de outros, como, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e outros, só possuía uma convenção, a saber (CONADEPE).
Ocorria que quando ministros de outros Estados vinham residir em Recife, tinham dificuldades de serem recebidos como tal, por uma razão muito simples; Os pastores da CONADEPE são remunerados, e o orçamento da Convenção pernambucana não comportaria um número muito grande de ministros.
Outro problema seria o perfil dos obreiros de outros ministérios, que tinham uma formação diferente da que se tem em Recife, pois há muito que já não se tem hegemonia doutrinária nas Assembléias de Deus (sem falar, usos e costumes).
Um exemplo disso está aqui mesmo em Pernambuco, onde hoje, conta com duas convenções estaduais nativas, CONADEPE e COMADALPE (essa última, mais recente) A Convenção de Abreu e Lima, ordena e recebe ministros divorciados, se o motivo do divórcio foi adultério da esposa, uma vez analisado e comprovado o caso. Já a Convenção de Recife, como também a que faço parte, não consagra e nem recebe ministros divorciados e nem casado com divorciadas. Isso ocorre em convenções de vários lugares do Brasil.
Não tenho propósito de entrar no mérito de quem está certo ou errado, estou apenas dando exemplos do porquê de em nossos dias existirem tantas convenções, e terem chegado a Pernambuco, indo além das fronteiras do Estado de origem.
A CGADB – Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil foi criada com o intuito de unificar a doutrina assembleiana, manter o Elo entre as igrejas filiadas, para frear as heresias, para evitar abusos dos usos e costumes, entre outros motivos. Lembro que quando o pastor Uriel de Jesus abraçou as heresias, como doutrina do cai, cai e unção do palito, foi chamado a se retratar diante da Convenção Geral e depois foi excluído do rol de obreiros, após lançamento de seu livro, que segundo ele tinha poderes místicos.
Mas, aos poucos, a CGADB foi cedendo espaço para seus convencionais abolirem de vez usos e costumes (que sei, trata de assunto local e de meu ponto de vista, periférico) mas, pior que isso, é mudar até a doutrina esposada pelas Assembléias de Deus há quase um século.
Silas Malafaia ainda estava na CGADB, como Vice-Presidente, quando levou para o seu programa o Morris Cerullo, o qual foi apresentado por ele, como profeta e falou um monte de asneiras em rede nacional, com o propósito de pedir dinheiro, usando de um cabalismo sem nexo, para nubridiar a mente dos incautos, tendo o respaldo do convencional das Assembléias de Deus mais conhecido em todo o Brasil. Em outros tempos, o Malafaia responderia junto a CGADB por esse ato herético, o que não ocorreu, sabe-se lá o porquê. Hoje estamos vendo pela TV, e pela internet pastores de nossa denominação envolvidos em todo tipo de movimentos estranhos, e sem sequer serem chamados a atenção, dando a entender aos que são de fora, que somos todos adeptos desses movimentos. Estamos diante de uma grande salada mista. Nessa onda de cada um faz o que quer, já temos nas Assembléias de Deus, diaconisas e pastoras, sendo que não se vê nenhum sinal de nossa Diretoria a respeito do assunto. Certo ou errado, não é o caso, e é discutível, mas sim, onde está a CGADB nisso tudo?
Chama-me a atenção ainda, o imbróglio Dake. Numa jogada de marketing, com clara visão de lucro, a CPAD por meio de sua direção, resolveu, por si só, e sem autorização das Comissões e Conselhos instituídos pela CGADB, para analisar todo material publicado por aquela Casa Publicadora, lançar uma Bíblia de Estudo, recheadas de heresias e de um autor que é a referência dos pregadores da teologia da prosperidade, doutrina essa, tão refutada em lições dominicais e livros da própria instituição assembleiana. Um tiro no pé que causou constrangimento aos ministros e membros da igreja, e trouxe um desgaste terrível para o pastor José Wellington e o Diretor da CPAD. Sem contar, a injusta demissão da irmã Ana Libório, que tinha relação no caso da Bíblia Dake. Portanto, uma ferida que ainda está aberta. Lembrando que até o momento, não houve nenhuma nota de esclarecimento por parte do Mensageiro da Paz tratando do assunto, e por que não dizer, pedindo desculpas a nação assembleiana pelo triste episódio.
Observamos também, que no papel de agente conciliador, a CGADB deixou a desejar nos casos conhecidos de Recife e Abreu e Lima; Da Convenção Baiana com a AD de Salvador e também, o caso da Igreja Mãe. Presidida pelo pastor Samuel Câmara. Tudo isso, nos leva a reflexão sobre a 3ª Via CGADB, tão discutida hoje, em Sites e Blogs Cristãos. Que nada mais é, do que uma nova opção para os que querem de fato, mudanças na atual estrutura da Convenção Geral, fazendo valer de fato o nome que ostenta e o motivo pela qual foi criada. Não estou fazendo apologia à pretensa nova chapa, mas, não tenho dúvidas, que seu surgimento, se dá em meio a fatos semelhantes aos supra-escritos.
Seria injusto, no entanto, não mencionar que o pastor José Wellington, em sua longa gestão, muito contribuiu para o crescimento da CGADB e CPAD, trazendo notoriedade a nossa igreja em todo o Brasil.
Elogio aparte e como considerações finais, resultado de um olhar esmerado na sociologia, vejo que estamos caminhando para um grande cisma; divisões dentro de divisões, sem abdicarem do nome Assembléia de Deus. Escutei muito na última eleição realizada em Carapina, que se tal chapa ou ministro fosse eleito, tal ministério deixaria a CGADB, e criaria uma nova convenção Nacional. São especulações que se tornam evidentes a cada dia. Apesar de ver hoje o pastor Samuel e o Pastor Wellington, andando juntos (o que muito me alegra), percebo que precisamos de mais nomes. Que sejam reconhecidos de todos nós, como homens de Deus, que tenham um projeto que traga unidade a nossa doutrina; Que estabeleça os papéis das comissões e conselhos, sem desvios de funções; Que administre a CPAD, não apenas com fins lucrativos, mas, evangelístico, barateando os produtos e tornando-os mais acessíveis a todos nós; Que diminua o valor da anuidade dos ministros, bem como das inscrições das AGOs e AGEs.; Que não só de apoio as grandes convenções e ministérios, mas também as de menor porte; Que regionalize os congressos e eventos nacionais, dando oportunidade aos que não podem viajar de participarem. Essas são algumas das várias considerações que poderiam estar elencadas neste pequeno espaço as quais compartilho com os meus amigos seguidores. Deus nos abençoe e bem vinda 3ª Via - CGADB.
“Sou cativo de minha consciência” Martin Lutero

Pr. Robson Aguiar.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

ACHADOS E PERDIDOS




Folheando as Escrituras Sagradas nos deparamos com várias histórias que falam de percas e conquistas, seja de objetos pessoas, posições de honra, ou até mesmo da própria dignidade.

Observemos por exemplo o caso de Esaú, irmão de Jacó. Era dele o direito a maior parte da herança de seus pais, como também a ele pertencia as maiores bênçãos proferidas pelo seu genitor antes que morresse. Entretanto, lemos que Esaú foi enganado pelo seu irmão e por sua própria mãe entregando seu direito a primogenitura em troca de comida. Quando se deu conta da insanidade que havia cometido, já era tarde, e nada pode fazer para evitar sua perca.

Mas, na frente, no Novo Testamento, lemos Jesus ensinando três parábolas que também falam de coisas que se perderam; primeiro Ele nos conta a história de um homem que perdeu uma de suas cem ovelhas, e que prontamente foi em busca da ovelha perdida a te encontrá-la. Em seguida, Jesus acrescenta a história de uma mulher, que perdeu uma de suas moedas e também diligentemente buscou sua drácma perdida até achá-la. Para finalizar o Senhor conta a história do filho pródigo, que não querendo estar mais debaixo da liderança de seu pai, resolve pedir adiantamento na sua parte da herança e vai para longe de sua família, viver uma vida dissoluta.


O que essas parábolas têm em comum, diferente da história de Esaú, é o final feliz. A ovelha foi achada, e o pastor alegrou-se com a recuperação de seu animal. Mas tudo nos leva a crer, que nesse caso, o pastor relaxou nos cuidados básicos com seu rebanho. Ele não foi atencioso o suficiente, lhe faltou ações básicas e preventivas, comum para quem está com uma responsabilidade tão grande como essa. Não se pode dar preferências na igreja a um, e ao outro desprezo. Todos devem ter tratamentos igualitários. Ser tendencioso e partidário para os liderados é um perigo! Pode afastar a ovelha ferida do rebanho. A atenção do pastor tem que ser compartilhada para todos.


Em seguida, vem a parábola da mulher (que na linguagem dos símbolos significa a igreja), que perdeu uma, de suas dez dracmas, (no contexto, um dos membros da igreja). Agora, a responsabilidade é dirigida a todos os membros da igreja, que por algum motivo, deixou cair uma de suas jóias. Importante frisar que a moeda caiu no chão da casa, normalmente de barro, cheio de poeira e não cimentado. As casa mais pobres da Palestina não possuíam janelas, deixando o ambiente interno da casa escuro e úmido. Então foi nessas condições que se encontra a moeda perdida, no escuro, no chão úmido e empoeirado, perdida. Mas, a mulher, não desistiu de procurá-la, ela de forma exaustiva, procurou, procurou, procurou, sem parar, não desistindo, até achá-la. Então ela ficou alegre, e chamou a todos os seus amigos e vizinhos para mostrar a moeda, e dizê-los, achei! Eu achei! Não está mais perdida, voltou para mim. Vejam! Que felicidade!

Agora Cristo encerra seu ensinamento, com o filho pródigo. Desta vez, a culpa não é do pastor (seu pai), da mulher(a família), e sim, dele mesmo. Alguém que viu defeito em tudo, indomável, egoísta, ambicioso, carnal. Ele quer distancia do seu pai, dos amigos e da família. Acha-se melhor do que todos. Então vai embora, para um lugar onde ninguém lhe importune, e seja seu próprio líder. Dono do seu nariz. Nele, agora ninguém manda. Não vive mais debaixo de liderança de ninguém. Mas, ai... tudo dá errado. No começo, ele impressiona os que lhes rodeia, pois tem dinheiro para gastar. Mas, a falta de limite, e a busca intensa pelo prazer (hedonismo), lhe deixa cada vez mais sem recursos, até que seus bolsos são esvaziados pela sua ingerência e prepotência. Ele começa uma viagem ao fundo do poço. Termina sua aventura ao lado dos porcos. Passa a desejar comer lavagens destinadas aos suínos. Então, dentro da pocilga, fedelho e esfomeado, distante da família e do lar, ele se encontra consigo mesmo. Seu ego foi abatido, seu orgulho agora está por terra, o narcisismo que lhe dirigia, agora já não tem sentido. Ele pode ficar ali até a morte chegar, ou pode se levantar e voltar para casa, pedir perdão a quem ofendeu, maltratou e desprezou. Ainda há esperança de ao menos viver de forma digna ao lado de seus verdadeiros amigos. Então ele decide voltar. Seu pai ao recebê-lo, faz uma grande festa, ainda lhe devolve o anel da herança. É o recomeço. Uma nova oportunidade lhe é dada. Eles choram de alegria. O filho perdido voltou. Está de volta. Seu pai nunca perdeu a esperança, ele acreditava que um dia o menino voltaria, assim, todos os dias ele passava um tempo no portão, olhando para o horizonte e perguntando a Deus, “Onde está o meu filho?” Voltou! Voltou! Ele voltou! Vamos festejar, dizia ele com alegria.


Trazendo estas histórias para a nossa realidade, pergunto, e você meu amigo, o que você perdeu?


Talvez no passado você fosse uma pessoa alegre, comunicativa, motivada, e cheia de projetos, mas em algum lugar de sua jornada você tornou-se uma pessoa triste, calada e sem esperança?

Quem sabe você era uma pessoa saudável e bonita, mas, após as tempestades da vida, você se entregou ao desânimo, adoeceu e anda deprimida, descuidada e de semblante caído?

Será que sua perca está na área afetiva? Será que você se entregou a um amor por toda a sua vida, e agora não está sendo mais correspondida? Ou se dedicou a família, e agora depois de tanto tempo, está percebendo que já não há mais harmonia com o esposo e com os filhos? Está perdida dentro do lar?

Será que você já foi uma pessoa de vida financeira equilibrada? Sem muitas dividas, que podia gastar dinheiro com viagens e conhecer outros lugares? Mas, que agora se vê numa situação de desespero, pois o que recebe mal da para comer?

Ou sua perca foi na área espiritual? Foi batizado no Espírito Santo, Falava línguas, profetizava, e agora, nem sequer glorifica a Deus na igreja. Não evangeliza, não louva mais como antes, não prega mais a palavra como costumava pregar e até a bíblia não lê mais como antes.

Bem, não é por acaso que você se deparou com esse texto. Nada está perdido. As coisas perdidas serão achadas em tua vida. Creio que Deus queria te dizer alguma coisa por meio dessa mensagem. Ainda que a culpa tenha sido sua de teres perdido o que Deus te deu, sinceramente, acredito que as coisas perdidas serão encontradas. Haverá recomeço, e restituição. Então, não fique triste, levante a cabeça, não se entregue e nem se desespere. Ainda há esperança. Deus é misericordioso, benigno, longânimo, e o seu amor incomensurável. Creio que uma nova oportunidade será te dada. Você já aprendeu a lição, e agora vai saber administra as bênçãos que Deus restituirá as tuas mãos.

Pr. Robson Aguiar.

sexta-feira, 9 de setembro de 2011

REBELIÃO, O PECADO DE FEITIÇARIA





Para compreendermos melhor o assunto, se faz necessário entendermos o que é rebelião. Segundo encontramos nos dicionários seculares rebelião é um processo político-militar em que um grupo de indivíduos decide não mais acatar ordens ou a autoridade de um poder constituído. Ainda pode-se atrelar ao termo rebelião a conspiração.

Mas, conforme constatamos na bíblia, a rebelião começou ainda na eternidade, quando um dos anjos de Deus de maior destaque, o qual era Querubim rebelou-se contra Deus.

Contudo antes de entrarmos em detalhes, aprendamos o que é um Querubim (do Hebraico כרוב - "keruv" ou do plural כרובים – keruvim) Pelos textos que se seguem, notamos como esse ser era importante no céu:

"Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório. Farás um querubim na extremidade de uma parte, e o outro querubim na extremidade da outra parte; de uma só peça com o propiciatório, fareis os querubins nas duas extremidades dele. Os querubins estenderão as suas asas por cima, cobrindo com elas o propiciatório; as faces deles uma defronte da outra; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório. E porás o propiciatório em cima da arca, depois que houveres posto na arca o testemunho que eu te darei. E ali virei a ti, e falarei contigo de cima do propiciatório, do meio dos dois querubins (que estão sobre a arca do testemunho), tudo o que eu te ordenar para os filhos de Israel". (Êxodo 25:18-22)

"O SENHOR reina; tremam os povos. Ele está assentado entre os querubins; comova-se a terra". (Salmo 99:1)

Foram bordados querubins também nas cortinas e nos véus do Tabernáculo, bem como nas paredes do Templo. (Êxodo 26:31 e II Crônicas 3:7).

Então vemos que ele não era um anjo qualquer, tinha certo destaque, apesar de aparentemente o Arcanjo, na hierarquia angelical estar acima dele e dos demais.

Mas, o que levou aquele Anjo a rebelar-se? A bíblia nos dá a razão da revolta lucifenica. Em primeiro lugar veio a soberba: “Já foi derrubada na sepultura a tua soberba com o som das tuas violas; os vermes debaixo de ti se estenderão, e os bichos te cobrirão”. Isaias 14.11: Iniquidade: “Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniqüidade em ti”. Ez. 28.15: Exaltação: “Pela extensão da tua sabedoria no teu comércio aumentaste as tuas riquezas; e eleva-se o teu coração por causa das tuas riquezas”; Ez. 28.5; Porfia: “Subirei sobre as alturas das nuvens, e serei semelhante ao Altíssimo”.

Deus reprimiu com rigor a rebelião de satanás e seus anjos, de maneira que não houve sequer uma negociação. A punição foi imediata e exemplar. Deus não negociou com os rebelados. Enviou o seu principal guerreiro, Arcanjo Miguel, e repeliu do seu reino o conspirador.
No Estatuto divino, não havia espaço para que lúcifer apresentasse suas razões para tal rebelião. Quem sabe, se ele fosse se defender, não diria a Deus: “Eu não queria me rebelar, foi um mal entendido” ou “Isso é calúnia e difamação, eu jamais faria isso”. Só, que para o Deus que tudo sabe e tudo vê, não havia como engana-lo. Logicamente, que no âmbito da igreja, uma denuncia de rebelião precisa ser investigada, pois somos humanos e podemos ser injustos em nossos juízos.

Então vemos que o assunto tem origem ainda na eternidade e com seres que tinham tudo para viverem em paz e harmonia. No entanto, por causa da soberba, iniqüidade, exaltação e porfia, resolveram sair do lugar da benção, achando que seriam bem sucedidos em sua revolta.

Mais na frente vemos mais um exemplo de rebelião e suas conseqüências:

"E Coré, filho de Jizar, filho de Coate, filho de Levi, tomou consigo a Datã e a Abirão, filhos de Eliabe, e a Om, filho de Pelete, filhos de Rúben.E levantaram-se perante Moisés com duzentos e cinqüenta homens dos filhos de Israel, príncipes da congregação, chamados à assembléia, homens de posição,E se congregaram contra Moisés e contra Arão, e lhes disseram: Basta-vos, pois que toda a congregação é santa, todos são santos, e o SENHOR está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a congregação do SENHOR? Quando Moisés ouviu isso, caiu sobre o seu rosto. Nm 16. 1-4.

O fim dessa história está no mesmo capítulo.

“E a terra abriu a sua boca, e os tragou com as suas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Coré, e a todos os seus bens”. v. 32

“E os que morreram daquela praga foram catorze mil e setecentos, fora os que morreram pela causa de Coré”. v.49.

Com Absalão, filho de Davi, não foi diferente. Apesar de ter sido perdoado pelo pai pelo mal que fez ao seu irmão. Na primeira oportunidade que teve, foi a porta do palácio, logo cedo e com ele 50 homens, para abordar aqueles que vinham ter com o Rei Davi, simplesmente para falar mal do pai, para mentir a seu respeito, para seduzir com abraços e falsos beijos e para fazer promessas de campanha para ser o novo monarca de Israel. Seu fim, também não foi diferente de Coré, conforme o texto sagrado. II Sm. 1. 1-6: 18.14.

Bem, e hoje, o que leva tantos membros e obreiros a rebelar-sem contra os seus superiores? Por que, a cada dia vemos esse problema ressurgir no seio da igreja?

Em particular, acho que os motivos continuam o mesmo, ou seja soberba, iniqüidade, exaltação e porfia.

Os rebelados esquecem quem foi o vaso que Deus usou para lhes ajudar, quem lhes deu a mão, quem lhes consagrou, quem lhes confiou igrejas para pastorearem. Quando percebem que a igreja está crescendo, que as finanças estão aumentando, que o status social do obreiro está cada vez maior, então começam a tratar com indiferença seu líder, a critica-lo por trás, e até a jogar a igreja contra aquele que ele deveria estar defendendo, como seu fiel representante. Tudo isso, com o intuito de juntar sua terça parte de membros para também rebelar-se.

Mas, também as igrejas tem seus estatutos, que estão atrelados aos estatutos da sua Convenção Estadual e Geral (no caso das Assembléias de Deus). E nestes Estatutos está previsto também o tratamento que deve ser dado aos que se rebelam contra a Igreja, representada no seu pastor. Exclusão é a sentença. Embora, que o acusado tenha direto a ampla defesa, se for constatada a rebelião ele será excluído do rol de convencionais, Uma vez excluído da convenção estadual a que pertence o ministro, será excluído também da Convenção Geral. Se ele quiser retornar ao quadro de ministros terá que se reconciliar com a igreja ofendida. No caso do diabo a punição foi eterna, mas, para os homens ainda se dá oportunidades.

Deus compara a rebelião ao pecado de feitiçaria, “Porque a rebelião é como o pecado de feitiçaria, e o porfiar é como iniqüidade e idolatria. Porquanto tu rejeitaste a palavra do SENHOR, ele também te rejeitou a ti, para que não sejas rei”.I Sm 15.23.

Conclusão e conselho:

Se alguém não está satisfeito com a direção de sua igreja, melhor pedir carta de recomendação e procurar uma congregação segundo o seu coração, do que pecar rebelando-se. Quando for embora, não faça feito Coré e Absalão, não junte ninguém com você, pois caracterizará, motim, rebelião. Vá sozinho, é mais ético. Ao chegar em outra igreja, não fale mal da sua antiga congregação, isso não é bíblico, não edifica, nem justificará sua ação. Simplesmente seja crente aonde você estiver. Então Deus será contigo e te abençoará.

Pr. Robson Aguiar

quinta-feira, 7 de abril de 2011

LUTO PELA CHACINA DE REALENGO, RIO DE JANEIRO

Passei o dia todo pensando no que aconteceu em Realengo. A tristeza invadiu o nosso coração ao ver a dor dos parentes desesperados com a perca de seus entes queridos. Só nos resta orar pelo consolo e socorro de Deus para os familiares e amigos.


segunda-feira, 4 de abril de 2011

Jair Bolsonaro dispara: E com razão

Em minha primeira postagem no meu novo Blog, trago a polêmica que envolve o Deputado Jair Bolsonaro. Na minha opinião, ele falôu algumas verdades.




Fonte: http://www.pranselmomelo.com.br/2011/04/jair-bolsonaro-dispara-e-com-razao.html